Animes Destaque Da Semana #28 - Servamp Episódio 11!




Esse artigo tem o objetivo de falar um pouco sobre os episódios dos animes em lançamento na temporada corrente. O artigo será formado por animes que na minha opinião mereceram destaque na semana, então vou falar sobre seus episódios e minhas expectativas, esperando sempre a colaboração de vocês leitores!

***

Penúltimo episódio de Servamp, cheio de emoção e combates intensos, vamos a review desse episódio:

Servamp
(Episódio 11)

Que Servamp é um anime muito acelerado, e cheio de cortes todos nós já notamos, mas o interessante é que apesar de todos esses cortes a obra não se importou em focar nos combates, muito pelo contrário ao decorrer dos episódios eu comecei a sentir que a obra estava sendo apenas "empurrada" por mais interessante que fosse, cada episódio tinha uma quantidade bem clara de flashback, como se esse fosse o grande foco da obra, poucos foram os combates que seguiram sem cortes até o último momento, e nenhum combate de fato alcançou uma conclusão notável até chegarmos nesse décimo primeiro episódio, onde claramente uma reviravolta ocorreu! Nesse episódio pela primeira vez os combates foram o grande foco, tivemos sequências de ação bastante intensas, e até mesmo combates concluídos! Devo dizer que se a obra estava apenas sendo corrida, e trazendo muita decepção até então, nesses últimos episódios eu pude voltar a gostar da obra.

Higan surge frente a Litch e Hyde, como um oponente perigoso e possivelmente imbatível. É claro que a impressão inicial da dupla é muito boa, mesmo que Higan já tivesse derrotado Litch precisamos lembrar que
foi quando ele estava debilitado pela distância entre ele e Hyde, logo era possível pensar que Litch agora teria uma boa vantagem no combate contra um mero subordinado, um subclasse que nada é além de um acessório da arma principal. O surpreendente nesse caso é que Litch acompanhado de Hyde travaram um combate intenso contra Higan, e o que parecia uma vitória fácil foi ficando cada vez mais difícil; tão difícil que em um dado momento Higan decidiu libertar todo seu poder, e logo uma diferença imediatamente intransponível surgiu, e mesmo com o orgulho ridiculamente gigante de Litch ele foi obrigado a entender que a vitória estava distante.

Simultâneo ao combate de de Litch e Hyde, Misono também travava seu pequeno conflito contra Sakuya, um combate com mais palavras que ataques, o triste foi notar que o domínio da batalha estava nas mãos de Sakuya, que mesmo não sendo um exemplo de poder, ainda conseguiu sozinho derrotar um Servamp, mesmo que o combate não tenha ido até as últimas consequências foi um grande medidor de poder. O combate não foi além pois Mikuni, irmão de Misono surgiu para travar a batalha do irmãozinho, talvez por inveja? Bom, ele veio acompanhado de seu servamp da inveja, e o combate aparentou ser rápido e direto.

Também simultâneo a tudo tivemos o pequeno e tímido conflito de Tetsu e seu companheiro do orgulho, um combate bem fraco contra dois ou três subclasses muito simples, fracos para ser direto, o surpreendente é que no rápido desfecho após alguns breves golpes trocados o servamp do orgulho foi derrotado de forma bastante humilhante, e simplesmente desapareceu. Como um truque de mágica a derrota aconteceu e nos deixou uma grande duvida sobre o real poder dos vampiros que deveriam ser poderosos. Misono ainda surge no cenário e começa a pensar em um plano qualquer, nem ao menos se interessa por entrar no combate, talvez nem esperava poder vencer, e assim perdeu seu tempo arquitetando um plano.

Após introduzir nos parágrafos anteriores a dificuldade imensa sentida pelos personagens que deveriam controlar os combates, eu tinha como objetivo deixar bastante claro o fato de que há sim um desequilíbrio de poder no elenco, tanto que após algumas cenas Tsubaki surgiu sem nenhum ao menos um arranhão, deixando parecer que derrotou seus inimigos sem nenhuma dificuldade, o fato é que há um desequilíbrio bizarro, onde os servamp do "bem" aliados do protagonista são simplesmente fracos ou os subclasse de Tsubaki são muito mais poderosos do que deveriam, em todo caso o desequilíbrio é meio irritante, o ideal seria que os combates fossem entre vários subclasses, e ai sim o poder poderia ser equilibrado, mas nesse caso os peões são mais fortes e habilidosos que a rainha; um jogo estranho de se admirar. Só não pego tudo isso como verdade absoluta por conta de uma reviravolta também desequilibrada que vamos tratar mais a frente.

Até quase metade do episódio apesar de pequenas reviravoltas, o poder estava na mão dos subclasses de Tsubaki, o poder estava desequilibrado apontando para uma possível derrota do "time" protagonista, foi quando Mahiru voltou para clamar seu lugar em evidência na obra, o desaparecido protagonista surge entrando pela janela de modo surpreendente e colocando em exposição sua verdadeira força; Mahiru chegou para mostrar quem de fato é o protagonista dessa festa. Certamente, o ponto mais surpreendente do episódio, Mahiru não surgiu junto de um pequeno gatinho preto, e sim sob um leão negro gigantesco
esbanjando energia e poder para todos os lados. A forma como Mahiru chegou no campo de batalha foi tão absurda que apelando para o bom senso, os vilões deveriam ter notado que CLARAMENTE era impossível derrotar ele. O interessante de tudo isso, é que não foi somente a apresentação do protagonista que foi bonita, ele surgiu como se tivesse treinado por anos a fio na sala do espaço-tempo (referencia Dragon Ball). Vamos ser bem sinceros, Mahiru nunca foi exemplo de poder, muito pelo contrário sempre deixou bastante a desejar, mas em seu retorno ele deixou uma impressão tão intensa, o protagonista cheio de inocência surgiu trazendo até uma trilha sonora emocionante, deixando claro que o herói chegou, ele derrotou um grupo de subclasses com um ou dois movimentos, sem nem sentir dificuldade, além de tudo surgiu com uma nova arma, não uma vassoura, e sim uma lança; Kuro por sua vez demonstrando novos truques antigos (HA-HA), a dupla chegou rasgando todo mundo; fico pensativo se essa reviravolta miraculosa, esse poder absurdo pode mesmo ser justificado com um simples "Kuro agora decidiu ir a sério", não tenho certeza, mas da forma que foi feito ficou bem contrastante, tanto que pareceu um pouquinho forçado; mas foi divertido de assistir, admito.

O combate de Litch já estava perdido, o interessante é que o velho Higan é tão prepotente que antes de finalizar com seus adversários ele já estava ponderando derrotar o novo e assustador Mahiru; conclusão como sempre a prepotência é a mãe da falha, e não precisou gastar muito tempo para que ele se arrependesse das besteiras provocativas que estava cuspindo. Hyde se inspirou no irmão mais velho, e decidiu mostrar seu lado forte, resultado? não tivemos nem mesmo um combate, apenas um movimento foi o suficiente para derrotar Higan.

O contraste de poder entre o estado de espírito "estou lutando" e "quero vencer!" é assustador. O desequilíbrio de poder entre vampiros e subclasses parece se resolver, quando os vampiros decidem parar de apanhar, e de fato lutar para vencer. Tudo é drama para que o enredo avance claro, o desenvolvimento do elenco é importante, o intrigante é quando um trauma ou estado psicológico fazem surgir um poder tão definitivo, nos faz pensar que talvez apanhar seja um dos prazeres dos vampiros desse anime.

Todos os inimigos foram vencidos ou parcialmente incapacitados. Kuro e Hyde fazem as pazes, todo mundo começa a conversar na base inimiga como se fosse a própria casa; bom, com Mahiru ali realmente deve dar
até para fazer um piquenique sem preocupações. O caso é que Lilac que já era suspeito desde o inicio traiu a confiança do grupo protagonista muito ingênuo. É curioso, o primeiro item que o mestre dá ao vampiro serve de símbolo do contrato entre eles, e o item pode ser usado para derrotar definitivamente o vampiro; com tal informação em mãos, sabendo que o ponto fraco único e definitivo é um item aleatório, o que é certo fazer? Bom, certamente é ficar exibindo por ai, afinal manter segredo é desonestidade. Fugindo da ironia, devo dizer que a traição de Lilac foi tão esperada quanto a chegada de Tsubaki, que voltou após seu combate meramente ilustrativo, ele voltou só para espalhar o caos, e nos render revelações e um belo combate no próximo episódio!

Bom pessoal, nesse momento em que estou postando o artigo sobre o décimo primeiro episódio, o seguinte já foi lançado, então a expectativa já acabou, mas em todo caso nos vemos no próximo e último artigo de review sobre Servamp!