Apenas Comentando #1 - Handa e a Feminista Irritante!


Sabe pessoal? A vida de um blogueiro nem sempre é fácil, aqui no blog eu gosto de sempre expor minhas opiniões sobre o que gosto, mas nem sempre eu consigo, afinal eu tenho o costume de criar "séries semanais", tudo que começo a postar tem que ter continuação e lugar, mas sinceramente isso pode acabar sendo frustrante as vezes, afinal algum tipo de comentário acaba escapando do objetivo dos vários "quadros" que temos aqui no blog, então como resultado eu decidi criar um artigo sem objetivo e sem prazo fixo, então ele vai surgir sempre que eu estiver com vontade de escrever sobre qualquer coisa que seja, okay pessoal?


Hoje vou falar sobre Handa-kun, mais especificamente metade do quinto episódio da obra, quando algo deveras engraçado aconteceu na obra...


O que seria um acontecimento tão interessante a ponto de me fazer escrever sobre? Bom, foi o aparecimento de Tennouji, a presidente do conselho estudantil do colégio de Handa, o protagonista. O
aparecimento de uma garota cujo as convicções são baseadas em um extremismo do feminismo foi de fato interessante para a obra, pude perceber que ali estava uma crítica social a posição extremista de muitos movimentos sociais dos tempos modernos, e através da hipérbole da obra tivemos a demonstração de como o pensamento da personagem é conturbado e cheio de ódio sem motivos.

Se é fato que o passado de Tennouji a fez ter ódio de homens, que simplesmente não tinham paciência de brincar com ela em sua infância, a personagem passou a entender que precisava prejudicar outros homens a sua volta, como se tal ação fosse a "vingar" dos atos cometidos por outros homens. Se te parece correto do ponto de vista social, alguém usar uma vingança para mudar a sociedade a sua volta, pense apenas que ela poderia ter recorrido a uma perseguição contra crianças, pois seus agressores assim eram, da mesma forma que aleatoriamente poderia escolher se vingar contra qualquer outro elemento que fosse destacável na conduta dos garotos que em sua infância a deixaram com raiva.

Eu só pude rir e me divertir com as ações da perturbada garota, que todo o tempo buscava prejudicar homens, mesmo que estivessem corretos, e defendia as garotas mesmo assistindo suas falhas. Se a balança da justiça já estava pendendo para apenas um lado, quando ela se encontra com Handa seu senso de justiça mesmo que mínimo foi totalmente destruído, afinal o protagonista é tão simples e livre de qualquer que seja a ação positiva ou negativa, afinal ele está sempre apavorado completando os cenários e mudando tudo a seu redor sem nem perceber. E em meio a esse encontro de personalidades, nos deparamos com o Rikimaru, o auge da criação da perturbada Tennouji, um "feministo", de dois metros de altura cheio de músculos e travestido. Se não bastasse todo o distúrbio que causava a garota, ela ainda precisava ir além, ignorando a felicidade das mulheres que deveria defender e começando uma cruzada em prol do próprio ego (nossa, que coincidência com a realidade...).

Como conclusão, a garota usou até de métodos que acusava ser propriedade dos homens agressores, e
mesmo assim fracassou em tornar Handa um vilão, e mesmo passando para métodos diretos e quase passando a ataques físicos, tentou destruir a moral do protagonista, que escapou com apenas alguns ferimentos, mas capturou o coração da feminista. Certamente no futuro ela será mais doce em suas aparições, já que Handa regou um pouco o terreno árido de seu coração...



Para concluir o artigo, eu devo dizer que não me dispus a escrever apenas para relatar o quão divertido foi ver uma extremista sendo extremista, mas também para agora na conclusão elogiar a obra, que vêm trazendo ótimos conflitos, sempre ao redor de personagens bem estereotipados, algo comum do humor, entretanto mesmo que indo pelo comum, a obra consegue surpreender, e inovar com personagens diferentes e divertidos, sendo Tennouji, a presidente feminista, apenas um exemplo de como a obra vem explorando possibilidades de humor ainda não batidos, ainda abordando um tema tão atual.

Devo dizer para finalizar, que não sou contra o movimento feminista, mas sou contra qualquer extremismo! Tudo tem seu lugar na sociedade, exceto aqueles que não sabem viver nela, com ordem, e sabendo os limites, logo devo dizer que apesar de achar divertido o episódio, não sou contra o movimento, e repito mais uma vez, contra o extremismo de qualquer gênero, isso sim sou contra!

Deixo agora com vocês, a possibilidade de comentar sobre o artigo, e sobre Handa-kun, essa obra de humor que foi tão esperada, e agora já alcançou sua metade!

0 comentários:

Postar um comentário