Top Ad unit 728 × 90

Conclusão da temporada Primavera 2016!



Com esse artigo vamos finalizar a temporada, agora é só esperar a próxima não é mesmo?
Bom, abaixo dei minhas opiniões finais sobre algumas obras que me chamaram atenção nessa temporada de primavera 2016, falei um pouquinho de cada obra e finalizei minhas opiniões sobre cada uma delas.
Vamos lá!


-Koutetsujou No Kabaneri

Estúdio: Wit Studio
Episódios:
12
Opinião:

Foi um dos meus animes favoritos na temporada, muito embora tenha aparecido na lista de animes decepcionantes da temporada, eu peguei ele como uma boa memória dessa temporada.

Apesar do anime não ter conseguido manter a "adrenalina" dos primeiros episódios durante todos os episódios que se seguiram, sempre que necessário resgatar o clima de urgência e emoção de uma batalha pela sobrevivência a obra o conseguia fazer com grande eficiência, e por conta disso eu considerei essa sendo a obra estreante mais emocionante da temporada.

Indo do protagonista Ikoma, até os mais aleatórios personagens a bordo do Koutetsujou, nenhum personagem teve seu design gráfico mal elaborado, foi interessante observar como o estúdio Wit Studio conseguiu várias as caracteristicas físicas de cada personagem. E seguindo o mesmo caminho, não consegui me desagradar dos personagens em ação, todos eles me passaram consistência em suas ações, e mesmo que eu não tenha me tornado "fã" de alguns dos personagens da obra, ainda consegui manter o "respeito" com ações bem justificadas ou meramente justamente injustificadas.

Como obra original Koutetsujou conseguiu se sair muito bem em uma temporada onde outra obra original se saiu muito mal mesmo. Dessa forma tivemos uma boa noção de como uma obra original tem de seus altos e baixos...

-Boku No Hero Academia

Estúdio: Bones
Episódios:
13
Opinião:

No inicio da temporada eu admito ter ficado com muito medo dessa obra, era uma obra que apesar de popular não me capturou em nada no primeiro episódio, e admito apenas ter continuado assistindo a pedidos de alguns leitores aqui do blog, como o Satoshi que afirmou que a obra melhoraria com o passar do enredo. Resultado? Que venha segunda temporada, pois estou muito ansioso!

Boku No Hero me capturou, admito que em parte seria bem simples dropar o anime logo nos primeiros momentos, e simplesmente criticar apoiado em diversas questões mal colocadas pela obra, entretanto foi quando resolvi dar uma chance para a obra, sem esperar o pior dela, que consegui me apegar com o enredo e personagens. Eu de fato nunca fui fã de heróis americanos, e essa questão realmente me afastou muito da obra, tanto que mesmo lendo o primeiro capitulo do mangá na época estreando, eu nunca tive vontade de continuar e passei a odiar a obra por conta desse tema, mas foi quando dei uma chance que acabei capturado por Boku No Hero, ele pode não ser uma obra de arte, mas de fato me divertiu muito com sua proposta diferente, mas que segue um modelo Shounen já bem batido...

Apesar do modelo shounen batido, onde o protagonista de alguma forma consegue ultrapassar seus limites, os amigos são mais importantes que tudo, e o mal sempre é justificado, mesmo dentre tantos clichês, ainda vejo um brilho diferente em Boku No Hero, alguns temas bem "adultos" surgiram em meio a uma obra adolescente!

Assim como todos os personagens do anime, o protagonista Izuku é bastante interessante, seu poder ainda não controlado e sua vontade de salvar vítimas mesmo quando sua vida está em risco são bastante cativantes, e outros personagens bem "exóticos" completam um elenco bastante único.

Se na minha primeira impressão dei a entender que seria essa uma obra bem limitada, e possivelmente chata, hoje eu mudo minha opinião e digo que é uma obra que recomendo, para quem gosta de Battle Shounen essa obra não pode faltar...


-Ansatsu Kyoushitsu

Estúdio: Lerche
Episódios:
22
Opinião:

Uma segunda e última temporada incrível. Admito que muitas vezes acabo criticando a postura conservadora e fixa da revista Shounen Jump, que apenas exibe obras bem semelhantes, onde o resultado sempre é feliz e agradável, e mesmo sendo destinada para adolescentes, a revista restringe suas obras a uma fantasia tão profunda de amizade vencendo tudo, e bem sempre triunfando, onde nunca ninguém morre sem merecer e tudo mais, porém dessa parece que eu me ferrei, afinal Ansatsu seguiu um rumo bastante diferente do que eu esperava para uma obra da Jump, a obra ousou ir além e o fez com perfeição. Quem sabe Ansatsu não foi um marco de inicio para obras totalmente diferentes do padrão Jump? Onde a amizade não supera tudo, e as vezes o mal vence sim...

A tocante mensagem final do professor polvo foi muito além do esperado para um mangá adolescente, onde na beira de sua morte o personagem afirmou que muitas vezes a sociedade é injusta SIM e muitas vezes cabe a nós simplesmente abaixar a cabeça e aceitar, e ponto. A obra superou minhas expectativas ao carregar no fim de seu último arco uma mensagem tão realista, indo ao contrário do ideal normalmente exibido de "Trabalho duro supera qualquer coisa, não há limites para os sonhos, etc..." a obra foi além e exibiu o lado podre da sociedade, e a impossibilidade de superar algumas adversidades. Nos últimos momentos da obra que de fato me capturou desde o primeiro episódio, reinou a tristeza, lágrimas e uma saudade infinita.

-Joker Game

Estúdio:  Production I.G
Episódios:
12
Opinião:

O Seinen da temporada. Essa é uma obra que veio preencher a lacuna de obras adultas que cada temporada ultimamente vem tendo, vindo suceder Young Black Jack, Shouwa Genroku; Joker Game na minha opinião falhou mais que acertou.

A obra climatizada entre a primeira e a segunda guerra mundial, veio demonstrar mais sobre uma fictícia agência de espiões japoneses não militarizados em meio a um cenário político bastante bagunçado com um fundo militar bem presente. Antes de tudo a obra tentava a cada episódio deixar bem claro o quanto cada um dos espiões da agência D podia se camuflar em qualquer lugar, em cada episódio uma missão era retratada, e de fato era sempre espantoso perceber como cada um dos personagens conseguia se camuflar e executar suas missões de roubo ou proteção de informações sem nunca matar ninguém! Mas o fato é que episódios de temática semelhante, mas temas sempre diferentes, nunca ligados entre si, uma verdadeira obra episódica caiu tão mal para o anime, que eu nem sei como consegui ver ele até o fim. Toda semana eu assistia o episódio do anime por ele estar em meio a episódios semanais de outros animes da temporada, afinal até o fim a obra não conseguiu me capturar, eu não conseguia ter expectativas para o próximo episódio, de fato a obra falhou em apoderar-se da atenção do espectador.

Indo em contrapartida do que falei no parágrafo anterior, Joker Game foi um anime interessante de assistir, mesmo sem nenhuma expectativa, e mesmo assistindo por assistir, quando o enredo proposto pelo episódio começava a se montar, eu admito que não conseguia não gostar. Gostei de cada episódio, todos eles com revelações surpreendentes, e reviravoltas inimagináveis, mas como eu disse, não me gerava vontade de assistir um próximo episódio.

A obra de fato é interessante, mas se você leitor que ainda não assistiu Joker Game, começar a assistir do episódio sete por exemplo, nem vai notar a diferença, afinal vai compreender o mesmo que qualquer um entenderia. A falta de "acumulação" notável de consequências de cada acontecimento relatado em cada um dos episódios, de fato atrapalhou a obra como um todo ser divertida de se assistir. Tenho certeza que em questões técnicas essa obra pode ser muito bem avaliada, mas ela não conseguiu me passar uma boa experiência como um todo. É uma obra mediana, não estou dizendo que contraindico ela, mas não é a "melhor coisa" que já assisti, bem na média, não vou me lembrar que assisti ela daqui duas semanas...

-Ushio To Tora

Estúdio: MAPPA
Episódios:
39
Opinião:

Se Joker game não gerou nenhum tipo de expectativa de episódio para episódio, posso dizer com toda certeza que Ushio To Tora ficou na ponta oposta dessa informação. Ushio To Tora foi o anime mais difícil de acompanhar semanalmente dessa temporada, afinal a expectativa sempre ficava no máximo.

A história do adolescente Ushio e seu companheiro sobrenatural Tora, certamente me conquistou, e até o último momento do episódio final eu permaneci em expectativa elevada para descobrir o que estava por vir. Infelizmente essa segunda temporada, ou segunda parte da primeira temporada se preferir, foi muito corrida, logo em seus primeiros episódios foi fácil notar que a pressa pelo fim atrapalhou o desenvolvimento dos primeiros momentos dessa etapa final, porém com o andar dos episódios o "tempo" parece ter se ajeitado, e a obra seguiu normal sem demonstrar grandes cortes notáveis, e digo isso não em condição de quem já leu o mangá, e sim pelo contrário, em condição de quem apenas assistiu o anime, e percebeu alguns grotescos cortes nos primeiros episódios da obra.

Com um final definitivo e bem emocionante, a obra conseguiu um lugar especial no meu coração, é certamente uma obra inesquecível. Quando acima eu falei sobre Koutetsujou ser a obra estreante mais emocionante da temporada eu adicionei essa condição de "estreante" justamente para relatar agora que o anime de combates mais emocionantes de toda a temporada foi Ushio To Tora. De combates maiores até os menores, a obra deu um show de adrenalina em seus combates de vida ou morte, o que diga o fim do icônico ódio de Hyou, não é?

Não posso deixar de antes de finalizar citar que Ushio To Tora ostentou aberturas e encerramentos simplesmente incríveis, eu diria que mesmo sem conhecimento de causa (não assisti a todos os animes da temporada) eu daria para essa obra o "título" de melhores abertura e encerramento da temporada.

Ushio To Tora deixou para trás uma grande mensagem de amizade não forçada como é o caso da grande parte das obras da (Já disse que não vou falar mal) revista semanal shounen Jump, quando a amizade tímida entre Ushio e Tora foi forjada durante combates e se manteve mesmo após o derradeiro momento. Ushio To Tora também deu uma lição única de animação e character Design.

-Sakamoto Desu Ga

Estúdio: Studio Deen
Episódios:
12
Opinião:

Sakamoto não me decepcionou... Não muito ao menos... É verdade que desde antes da estreia eu já esperava muito da obra, e tanta expectativa acabou me prejudicando, mas essa obra ainda foi divertida.

Carregar o dever de ser o humor da temporada não fez bem para Sakamoto Desu Ga, que apesar de ter um humor non-sense interessante ainda não é nenhuma exceção esplendorosa do "gênero", é apenas uma obra engraçada e que dependendo do seu ponto de vista pode ou não ser repetitiva, mas isso já era esperado, não?

Ao menos para mim a grande falha dessa obra foi o público, todos esperavam rir até morrer com as aventuras insanas de Sakamoto, como a obra deu no máximo para rir até passar mau, grande parte do público se decepcionou e como resultado ela até foi parar na nossa lista de obras decepcionantes da temporada.

Sem muito mais a dizer sobre Sakamoto, eu apenas afirmo que ele é engraçado até certo ponto, e assim como qualquer tipo de humor, vai agradar alguns e desagradar outros, foi uma obra divertida, e difícil de esquecer, mas certamente não foi nem perto da expectativa inicial que eu tinha.

- Bungou Stray Dogs

Estúdio: Bones
Episódios:
12
Opinião:

Comecei a temporada assistindo essa obra apenas por assistir e fazer o artigo de "primeira impressão", e após ver o primeiro episódio me apaixonei pela proposta do anime. Até então ainda busco ligação dos autores famosos que cada personagem faz referencia com o enredo em si, mas acho que não é necessário preencher essa lacuna para a obra continuar sendo ótima. A ideia de cada personagem e seus poderes inspirados em famosos autores foi excepcional, admito ter sido capturado pela minha curiosidade nesse elemento da obra, e isso me levou a querer assistir tudo.

Contando com combates dinâmicos, mistérios desde simples a complexos, personagens cativantes e vilões carismáticos, essa obra já conquistou sua segunda temporada e certamente conquistou minha atenção. É claro que não vale esquecer de Atsushi, um protagonista que aos poucos se tornou admirável, a pequenos passos ele conquistou seu protagonismo conforme foi controlando seus poderes sem passar por etapas óbvias que normalmente são impostas em obras semelhantes.

Não posso esquecer de comentar que as músicas escolhidas como tema para abertura e encerramento da obra são incríveis, e eu já as tenho para ouvir e jamais esquecer dos bons momentos assistindo Bungou Stray Dogs.

Estou sim na expectativa de uma segunda temporada dessa obra que já foi confirmada, e espero que continue tão interessante como foi até então.

-Mayoiga

Estúdio: Diomedea
Episódios:
12
Opinião:

A aberração da temporada. Já falei bastante mal dessa obra por aqui, mas nada que ela não mereça.

Sendo Mayoiga uma obra Original, eu desejo profundamente que o estúdio responsável venha a falir. O enredo geral da obra é simplesmente atrativo a primeiro ponto, e nauseante no desenvolvimento incompleto, fraco e óbvio. Seguindo uma proposta inicial onde cerca de 30 personagens ficam isolados em uma cidade perdida, a obra MAL E PORCAMENTE conseguiu apresentar seu sem graça protagonista que eu nem ao menos me darei ao trabalho de lembrar o nome. Com dezenas de personagens a obra explorou alguns poucos "sortudos" em meio aos episódios, mostrando seus passados e dramas clichês e bem batidos, e quando algo inédito enfim aparecia era uma versão com elementos bizarros de algum drama clichê.

Se o drama batido foi ruim, o que dizer dos personagens histéricos? "Matem ele! Matem ela! Matem todo mundo!" mas no fim todo mundo é bom, não é? Não importa nessa obra o quanto você prejudique o protagonista, minta para ele, ou até tente o matar, ele vai simplesmente ignorar, afinal ele é MUITO bonzinho e ignora tentativa de homicídio. E se é para falar de protagonista, precisamos lembrar que ele nem ao menos gosta de contra-argumentar, pois palavras podem ferir, e quando uma situação de histeria acontece ele jamais lembra a culpa que seus "amigos" também carregam, ele apenas fica refutando com um "eu confio nela" "Todos podem ser felizes" "Ninguém errou". Em suma o protagonista apenas é levado pelo enredo, e seja onde o enredo o levar, ele continua sendo bonzinho e não reagindo a nenhum mal que o façam.

Se o enredo é chato, os personagens são batidos e inconsistentes, o que acontece na obra como um todo? Eu digo que a obra é tão fraca como um todo, que em cenas de extrema tristeza, nem os personagens "conseguem" chorar, eles ficam apenas passando a mão nos olhos como se fossem atores ruins. Chega a ser tão ruim a obra, que quando há um conflito entre antigos amigos, a discussão parece novela mexicana antiga, com péssimos atores, que em nada passam as emoções de confusão e ódio.

Por mim, deve ao menos ter uma boa animação esse anime não é? Esse foi o ponto mais baixo da obra, algumas coisas que vi durante os episódios nunca vão sair da minha mente, a animação foi simplesmente nojenta.

Enfim, deixei essa obra por último simplesmente para relatar que na minha opinião, e baseado no "top 10 de animes decepcionantes da temporada" creio que também é a opinião da maioria, Mayoiga é o pior anime da temporada. O pior anime que vi em muito tempo.
 Esse foi o artigo especial de fim de temporada, comentem abaixo suas opiniões sobre esses e outros animes finalizados nessa temporada, e agora vamos esperar que se inicie e nova temporada, em breve vamos começar a trazer os artigos de primeiras impressões da temporada de verão 2016!
Conclusão da temporada Primavera 2016! Revisado por Jhonatan A. Gonçalves em sexta-feira, julho 01, 2016 Nota: 5
Todos os direitos reservados Animes Tebane © 2014 - 2017
Hospedado no Blogger, tema desenvolvido por Sweetheme

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.