Animes Destaque Da Semana #8 - Ansatsu Kyoushitsu e Ushio To Tora!

Esse artigo tem o objetivo de falar um pouco sobre os episódios dos animes em lançamento na temporada corrente. O artigo será formado por animes que na minha opinião mereceram destaque na semana, então vou falar sobre seus episódios e minhas expectativas, esperando sempre a colaboração de vocês leitores!

***

Olá pessoal! Um dia atrasado! Peço desculpas...

Além de trazer o artigo, trago uma dúvida: Estou pensando em criar um artigo (não semanal, e sim de ocasional) para homenagearmos as mortes dos personagens que vão morrendo ao decorrer das temporadas, o que acham da ideia? Comentem abaixo, vou fazer enquete sobre isso, mas gosto de conhecer a opinião escrita de vocês...


Ansatsu Kyoushitsu
(Episódio 24)


Até a metade do ano de 2015, eu apenas escutava rumores de um determinado mangá, onde um professor-polvo-amarelo fazia de uma classe especifica refém durante um ano inteiro, e com poderes anormais lecionava para alunos que durante todo o tempo tentavam o matar. Admito que poucas vezes fui curioso o suficiente para explorar mais da obra, até que em junho de 2015, quando adaptado para anime, senti necessidade de assistir, não por se tratar de uma obra da poderosa Shounen Jump, e sim por carregar uma proposta simplesmente diferente de tudo que eu já havia visto. Admito que a única ideia que eu tinha para Ansatsu, vinha de uma citação do anime Bakuman, onde aleatoriamente surge uma história de uma classe especial onde os alunos iam sendo eliminados aos poucos, uma proposta bem simples, e que me chamou atenção. Quando vi a proposta de Ansatsu, essa citação logo me veio a mente, e admito ter criado uma espécie de expectativa para a obra. Quando estreou, admito que me surpreendeu, um protagonista nada ao estilo Jump, dividindo espaço de elenco com outros personagens nada típicos de autores da revista semanal.

E aqui estamos, para relatar o último episódio do anime, o fim, de fato a conclusão para o estranho acontecimento que atingiu a pouco determinada classe-E. Quando no inicio do episódio, o professor Koro, se foi ao chão, as lágrimas já começavam a aparecer, não em mim, e sim na pessoa ao meu lado. Foi ao que ele bateu com suas costas no chão, e o peso dele se demonstrou encontrando o solo, que estava determinado o fim. E,um episódio com poucos acontecimentos, a maior e mais pesada decisão da classe-E foi escolher quem seria o executor do tão amado sensei, e o escolhido foi o assassino por merecimento e talento: Nagisa. A Missão de sozinho cravar sua faca no peito de quem mais amava, coube ao agora anunciado líder da classe, Nagisa. Cada momento da turma foi exibido de forma veloz, admito que fiquei transtornado ao assistir rever as primeiras cenas do anime, e perceber como o tempo passou, já faz quase que exatamente um ano desde quando o anime estreou, assim como os personagens, tivemos o contato de um ano com o Koro-sensei, então o sentimento de perda no coração dos alunos, foi o sentimento de perda no meu coração também. Acompanhei por um ano a vida e acontecimentos deles, assim como eles passaram um ano com o Koro-sensei, e o resultado foi uma enorme descarga de emoção, e sofrimento, em assistir um dos maiores professores dos animes simplesmente falecer, e deixar de existir sem nenhuma expectativa de sobrevivência. Diferente do esperado, o Koro-sensei morreu de fato, sem a possibilidade de voltar, a obra não deixou meio entendido a morte dele, e sim completamente. Koro-Sensei está morto.

Na certeza de que havia assistido pela última vez o sorriso do Koro-sensei e enquanto assistia o desespero
de Nagisa caindo em lágrimas, com uma sonora e triste música de formatura de fundo, assistia também a PESSOA a meu lado chorando que nem um Nagisa. Foi horrível.

Com esse recado, termino a review desse episódio. Que mesmo tendo 21 minutos, conseguiu representar todos os mais de 40 episódios. Assim morreu Koro sensei, com um sorriso visível em seu rosto.

Próximo episódio? Um especial? Um extra? Não sei o que vamos assistir, se continuação da vida dos personagens, ou um mero especial, mas estou agradecido a Yuusei Matsui por ter nos dado a oportunidade de conhecer uma história tão incrível, sobre uma classe e seu professor.

Observação: Foi horrível também ver a imagem de fim de episódio sem o Koro-sensei.


Ushio To Tora
(Episódio 39)


O mas palavras de Tora, o maior ponto fraco de Hakumen No Mono foi exposto. O medo, que a criatura durante toda a série exibia como sendo seu maior poder, se demonstrou sua maior fraqueza. Admitindo ter medo daqueles que vivem na luz, a estranha criatura começou a revelar seus medos e fraquezas, revelando também uma vontade única de querer superar mesmo os seus maiores pontos fracos. Se demonstrando como uma frágil criatura sem luz,  Hakumen demonstra a inveja e o medo que tem da pessoa coberta de luz a sua frente, Ushio.  É claro que mesmo com seus medos sendo expostos, a enorme criatura ainda não se tornou mais fraca, o que a tornou ainda mais vulnerável foram as perdas que foram se acumulando ao decorrer da obra.

Lá no inicio, um garoto bruto, engraçado e problemático, um dia descumpriu as ordens da família, a abriu o depósito a muito esquecido, lá encontrou uma estranha criatura presa a uma lança antiga. Foi quando retirou a lança de onde era seu lugar, que o garoto deu inicio a uma das jornadas mais incríveis dos animes. Foi com uma coragem única, que Ushio, acompanhado de Tora, seguiram seus destinos até o último segundo, juntos e determinados.

E quando todas as peças já haviam se apresentado, e todos os problemas já tinham sido solucionados, que apenas restava a eliminação do monstro enorme perante aos heróis. A grande criatura se cegou para não temer ao que assistia, cego, e desesperado a criatura agia com ódio e sem razão alguma, desejando agora eliminar aqueles a sua frente acima de tudo. Foi quando a amizade entre Ushio e Tora se demonstrou imbatível, e a preço de sua vida, Tora protegeu Ushio, e o capacitou para derrotar definitivamente, a criatura que no inicio ficou nas sombras enquanto a luz se fazia viva. E foi com um definitivo movimento, Ushio To Tora tiveram suas sagas finalizadas. Se desfazendo em ódio e frustração, Hakuman No Mono se demonstrou patético ao revelar sua vontade de ser apenas um bebe humano, frágil, e cheio de vida, com toda uma história pela frente, escolhas a serem feitas, e a possibilidade de ser simplesmente feliz.

E ainda sem descanso, tivemos a partida de Tora, que se demonstrando satisfeito, partiu sem reclamar, se dando por convencido, que agora era sua hora de descansar do milenar embate. Vendo seu companheiro
fiel partir, Ushio se desfez em lágrimas assistindo sua própria queda, aceitando que seu destino era se tornar Tora, mas quando foi interrompido, recebeu o direito de viver, e dar continuidade a seus sonhos, voltar a ser apenas mais um garoto, que apesar de ter viajado do presente ao passado, retornado e lutado com a criatura mais poderosa do mundo e ainda prevalecido, agora poderia sonhar com uma vida a frente.

Com a conclusão de todos os combates, um sacrifico em massa foi o suficiente para pôr fim no maior dos problemas, o Japão agora não estava mais destinado a afundar, e aqueles monstros que ficaram para trás, são aqueles que agora podem viver em paz com humanos.

Um futuro bastante pacifico nos é exibido, um mundo sem conflitos, sem a necessidade de um herói. Ushio vive sua recompensa, pela primeira vez na vida tendo uma família completa, mas algo ainda falta em sua vida... Seu melhor amigo, Tora.

E com uma visão exterior, o monstro que controla o tempo nos revela de fora a insignificância de tudo, nos apresentado como tudo foi apenas UMA história, dentre milhões de possibilidades, apenas a história do garoto comum que salvou o mundo, e se tornou apenas um garoto comum novamente. Em um ultimo momento, um fato bastante esperançoso nos é revelado: Apenas humanos morrem na terra, aqueles que voltam, são os monstros. Sim, quem sabe um dia, talvez por um mero capricho do destino, um dia ele volte para Ushio. Sim, ele mesmo, aquele cujo recebeu muitos nomes gloriosos, mas no fim escolheu ser chamado: Tora.