Top Ad unit 728 × 90

Meditando no Enredo - #2 Shigofumi: A verdadeira face da sociedade!


Esse é um artigo novo, que busca de alguma forma atender ao pedido que todos fizeram durante a enquete que perguntou sobre o artigo que deveria ser feito nas sextas... Entendi que querem uma Análise, e como não aguento fazer a tradicional toda semana, decidi fazer essa análise menor toda semana, e na primeira sexta-feira de cada mês, trazer a análise completa!

***

Anteriormente no artigo de indicação de animes eu afirmei que usaria o anime Shigofumi para outro artigo e esse artigo é o "Meditando no enredo".  Pois é, falei dele na terça e vou falar dele na sexta. Vi esse anime essa semana que passou, e gostei muito dele, indiquei para todos, e agora vou falar um pouco mais dele na expectativa de que você leitor aceitou minha indicação dele na terça-feira e  já assistiu o anime, caso não tenha assistido clique aqui e leia a indicação dele livre de spoiler.

Introdução


Alguma vez na vida você já se encontrou bem em meio a uma discussão que tem como alvo definir o que é certo ou errado? Eu que adoro discutir por ai, já tive essa oportunidade várias vezes, com muitos temas envolvidos o certo ou errado acaba caindo como um juízo final em muitas das questões que discutimos no nosso dia a dia!


Impeachment ou Golpe? Feminismo ou Vitimismo? Original ou Pirata?
A verdade é que o nosso mundo é cheio de questões que envolvem fatores tão complexos, que fica muito difícil achar o "lado certo".

Muito das vezes os filtros onde as informações passam antes de chegar até nós acabam definindo nossas
opiniões. Outras vezes porém nossos interesses pessoais acabam nos guiando até o lado que consideramos correto, sem nem mesmo questionarmos os motivos de um suposto opositor.

Como conclusão podemos perceber que nem sempre nos aliamos ao lado onde os argumentos são mais fortes, entretanto mesmo assim continuamos a defender uma bandeira como se ela fosse a verdade absoluta.

Agora, você leitor deve estar ai em sua cadeira macia e sedosa, cheio de seus méritos próprios e tentando entender o que liga Shigofumi ao que você leu nos últimos segundos, e torcendo para que eu não diga um "Pois é, nada" como resposta para essa pergunta, finalizando uma péssima piada, porém não é isso que vou fazer hoje! Shigofumi tem por trás de seu enredo simples uma camada grossa de crítica a sociedade e o ao "socialmente aceito", e é disso que vamos falar hoje!


Bullying é culpa da sua postura!

Shigofumi nos apresenta o tema Bullying em várias oportunidades diferentes, nos mostrando ângulos diferentes de acontecimentos quase repetidos! O primeiro arco do anime, contando a história de uma garota que matou seu pai, tem em uma pequena parte de sua totalidade algumas menções tímidas ao quanto ela sofria pela perversão de seu pai, e o quanto ela sofria em seu colégio com o bullying que seu sofrimento gerava. Sim, o sofrimento gerava mais sofrimento. Por sofrer, e chamar atenção, a sociedade a sua volta decide a fazer sofrer mais, pois ela está errada em sofrer!Apesar da ótima introdução ao tema apresentado em fragmentos ao longo do primeiro arco, foi no episódio seis desse anime, onde mais um de seus pequenos arcos tem inicio, que o assunto Bullying foi colocado de forma clara como tema principal do drama. Esse arco é protagonizado por Morishita Shunsuke, um jovem que acredita nessa falácia que "Bullying é culpa de quem sofre" com esse pensamento enraizado Shunsuke assiste a seu colega de classe Kouichi sofrer com uma tortura psicológica intensa por parte de outros estudantes de sua classe, todos veem as """BRINCADEIRAS""" feitas com o jovem que nunca nem mesmo tenta revidar! O tempo passa, e a coisa só piora, porém Shunsuke afirma para si mesmo que não tem motivo para impedir, afinal de contas é apenas Bullying psicológico, se fosse físico seria sério... Ao que a situação chega a um rumo imprevisível, Shunsuke se torna a última chance de salvar Kouichi, porém ele insiste em se manter distante, e Kouichi se Suicida. Os dias passam, e agora os valentões precisam de um novo alvo, e o sorteado da vez é o sortudo Shunsuke que agora passa a entender o que é ser um Homem meio morto.

Quando uma crítica social é feita através de um meio alternativo como é a animação Japonesa, muitas pessoas tendem a acreditar que ela não é tão real ou séria, mas acredito que no caso do Bullying não veremos muitas pessoas negarem a existência, quando muito alguém pode criticar a vitima por manter sua posição de vitima.

A cultura aqui do Brasil em relação ao Bullying é muito atrasada, afinal a maior parte da população encara bullying como brincadeira, e normalmente a sociedade tende a culpar a vitima por não reagir! É um fato que alguém com um temperamento menos tolerante como eu, poderia facilmente espancar alguém por conta do Bullying, mas nem todos tem um temperamento explosivo, força física ou capacidade de se defender, e em muito dos casos o maior dano que o bullying causa é o dano psicológico!

Uma pesquisa divulgada no ano passado afirma que 20% dos estudantes Brasileiros já praticou Bullying de forma repetitiva, em contra partida 13% dos estudantes já sofreram com algum tipo de perseguição, e entre eles infelizmente apenas uma ínfima parte tem acesso ao apoio de um psicólogo ou profissional capaz de orientar e ajudar a tratar os problemas causados pelo bullying.

Se no nosso país o Bullying é um assunto pesado, que dirá no Japão, país onde a independência dos jovens
é colocada como prioridade a frente de tudo!
No Japão a culpa fica ainda mais depositada nas costas de quem sofre com perseguições, a cultura Japonesa é muito focada em independência, e quando alguém sofre Bullying ele é considerado inapto em se misturar na sociedade, logo a culpa é dele e ele fez por merecer o tratamento rude e as agressões. Como bônus para toda questão, é natural que a vitima se sinta forçada a superar tudo com sua própria determinação, e isso a faz evitar qualquer tipo de ajuda que poderia ter de pessoas mais velhas.

Se no Brasil o índice de bullying é exorbitante, no Japão os números chegam a ser deprimentes! Por lá conhecido como Ijime, o Bullying é feito de forma mais repetitiva e agressiva, uma pesquisa divulgada lá atrás em 2012 deixa claro o problema já enraizado na cultura japonesa expondo o número bizarro de cerca de quase 300 mil casos de bullying registrados em um período de apenas 1 ano, sendo uma parcela desses casos considerados extremamente graves onde a vida da vitima já estava em grande risco. 
Aliado a praga por lá conhecida como Ijime, a cultura Japonesa registra ao longo de sua história um grande índice de suicídio juvenil, estima-se que entre
1972 e 2013 houveram cerca de 18 mil suicídios infantis, sendo que a maior parcela desse número revela um dado assustador e simultaneamente triste: A maior parte dos suicídios infantis foram em datas próximas ao reinicio das aulas.

A culpa do Bullying é de quem pratica, e isso é óbvio! A vitima não tem culpa por sua aparência física, limitação física ou mental, ou outro tipo de condição ou escolha que a faça """DIFERENTE""" do socialmente comum. Mas é claro que a culpa não é só de quem pratica, eu diria que é mais culpado ainda quem apenas assiste e ignora! É um fato que se não é com você, não é problema seu, mas até quando? Até você se tornar a vitima? Bullying é um movimento social, exige apoio da maioria para acontecer, se a maioria discorda e vai contra, ele não ocorre! O Bullying é em primeiro momento causado pela ausência de apoio dos demais membros de um grupo, se a maioria é contra o bullying, quem o faz não pode continuar, afinal pode acabar virando alvo de um distanciamento social dos demais membros do grupo!


Apesar de tudo, se alguém sente tanta necessidade de perseguir, humilhar e ferir alguma outra pessoa, acredito que ela também precisa de um apoio psicológico para poder se entender melhor. É como visto mais abaixo, a culpa de um crime nem sempre é a maldade.

A sociedade decide por você!

Hibiya Takehiko é o protagonista de um dos pequenos arcos apresentados o anime Shigufumi. Takehiko é desenhista em uma empresa de desenvolvimento de jogos, porém sua profissão não é aceita, e ele é tido como vagabundo. Descobre que está para morrer de uma doença terminal, e decide se demitir.Apenas esse trecho da vida de Takehiko é o suficiente para começarmos a exploração. Takehiko não é um vagabundo, ele trabalha, porém seus pais não gostam do seu trabalho, afinal não é como se pudessem falar para os vizinhos "Meu filho é advogado" ou "Meu filho é médico", logo não importa que Takehiko está feliz em sua vida, conseguindo aos poucos ganhar seu dinheiro e tocando a vida para frente, ele precisa dar orgulho para sua família, para que em eventuais conversas com as vizinhas sua mãe possa ficar se vangloriando de seus feitos, mesmo que isso custe sua felicidade. Agora, se eles está desempregado ele nem pode existir na sociedade, um homem adulto andando durante o dia certamente é criminoso, e se está acompanhado de uma criança é um pedófilo sem dúvidas.

A sociedade Japonesa é muito dura nessa questão, realmente faz a cultura Brasileira parecer uma festa regada a feijoada. Na nossa cultura você só vai ser mal visto caso se tranque no quarto e decida viver como Youtuber, ou quem sabe coloque um violão nas costas e decida cantar sertanejo universitário, mas em todo caso se você começar a ganhar dinheiro e fama, todos vão te amar, e você vai virar a lenda da família, todos vão puxar seu saco, e sua vida será muito feliz. Na real, aqui no Brasil se você exerce uma profissão que rende dinheiro, e esse dinheiro é ao nível do esperado por sua família, você não vai sofrer nenhum tipo de repressão da sociedade. E caso você se encontre desempregado, também não vai sofrer com nada, pois nosso país é cheio disso mesmo...

Agora, se a cultura Brasileira é "Nada acontece feijoada!" A cultura Japonesa já é bem séria! No Japão
você carrega o nome da sua família na testa, e caso cometa algum erro sua família toda será exposta a vergonha social. É verdade que sua profissão precisa ser lucrativa, mas lá eles vão além desse critério para aceitar a sua atividade profissional, ela precisa parecer boa, e se possível encher de glória o nome da família. Em todo caso se sua família já tem um ramo a qual pertence, é bom esquecer seus sonhos, afinal você vai precisar seguir o caminho da carreira familiar, ou vai acabar sendo expulso de casa!

Em todo caso, apenas podemos conferir o quanto a sociedade no geral é hipócrita em escolher a vida de um indivíduo ignorando seus sonhos ou objetivos.

A Vitima não deve revidar!


Em vários dos arcos de Shigofumi podemos presenciar a mídia divulgado noticias opinativas com uma visão distorcida de fatos ocorridos. Na maior parte das vezes vemos a mídia demonizando pessoas que cometeram algum tipo de crime, sem nem ao menos tentar buscar justificativa para seus atos. Uma garota que atira em seu próprio pai? Ela deve ser louca, como pode fazer isso?! Merece punição absoluta! Pena de morte para ela! Um velho que entra armado em um colégio!? Terrorista! Matem ele! E assim seguimos cheios de monstros criados pela mídia uma hora desinformada outra hora apenas cega ou aliando seus interesses ao que é noticiado.
Fato comum do mundo inteiro, ninguém se importa com os motivos de um crime. Legitima defesa? Você era torturado? Busca saber porque seu filho morreu? Dane-se suas questões pessoais, você vai aparecer em um noticiário policial com apresentadores sensacionalistas que vão mostrar para o mundo todo o maníaco sanguinário que você é! Agora você não é mais uma pessoa, você é um demônio sem coração, sem família, sem objetivos ou sonhos, você não dorme durante a noite e sim busca pessoas para matar. Quantas vezes não somos facilmente influenciados por esse tipo de mídia, que busca fazer um vilão absoluto mostrando apenas seus erros e crimes? Quantas vezes nos perguntamos os motivos dos criminosos que são expostos nos noticiários como assassinos sem coração? Será que eles são seres que apenas matam? Os casos do primeiro parágrafo desse titulo, são apresentados ao decorrer do enredo de Shigofumi, e em todas as vezes o motivo por trás dos crimes era muito maior que o crime cometido, a garota que atirou no pai era torturada, e o velho só buscava respostas da morte de seu filho, mas é claro que assim como no anime, a mídia  da vida real tripudia sobre os crimes e toda a violência possível, porém diferente do anime, na vida real nem sempre os verdadeiros motivos ficam claros e os mistérios são revelados, e nós distantes apenas julgamos como se fôssemos senhores da verdade.

Todo acontecimento tem mais de um ponto de vista, e é muito, mais muito errado mesmo julgar conhecendo apenas um dos lados da história. A meia verdade pode ser pior que a completa mentira, acredite nisso, você jamais irá querer ser vítima de algo assim, deve ser desolador ser condenado pela sociedade por um crime que você apenas cometeu para se proteger de algo maior, ou quem sabe proteger um outro alguém...


Conclusão nada conclusiva



Do colégio até a vida adulta a sociedade que nos cerca nos molda de várias formas, algumas boas e outras
ruins, a verdade é que na maior parte das vezes a sociedade de forma sedutora ou truculenta acaba escolhendo seus caminhos, e para quem tenta ser feliz em sua própria forma de encarar a vida, a sociedade guarda apenas dor, sofrimento e reclusão!

É uma verdade que historicamente estamos em um dos melhores períodos de liberdade individual, porém ainda hoje a forma com que a sociedade vai encarar suas posturas é muito decisiva, e mesmo que você não seja queimado na fogueira por seus erros, ainda é ruim ser apenas expulso da sociedade, e ter que viver fadado a ter como meio social apenas alguns poucos isolados. Estamos fadados a escolha da maioria do que é o certo ou o errado, porém nossa escolha individual de como encarar muitas das questões cotidianas que normalmente ignoramos para não comprometermos a nós mesmos, pode ser o principio de uma mudança...

Essa foi a mensagem secundária carregada por Shigofumi, uma mensagem de protesto contra uma sociedade que apenas age para o bem dela mesma, uma selva onde apenas os mais fortes (Leia-se ricos) (Ou mais numerosos) tem decisão sobre o "socialmente aceito" e os demais apenas abanam o rabo e seguem felizes. Outras críticas sociais são feitas ao decorrer dos episódios, porém escolhi deixar em foco apenas essas que foram as que mais me agradaram!


Esse foi o artigo de hoje pessoal, trouxe ele um pouco atrasado, mas eu trouxe, espero que tenham gostado!

Meditando no Enredo - #2 Shigofumi: A verdadeira face da sociedade! Revisado por Jhonatan A. Gonçalves em sábado, abril 23, 2016 Nota: 5
Todos os direitos reservados Animes Tebane © 2014 - 2017
Hospedado no Blogger, tema desenvolvido por Sweetheme

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.