Shingeki no Kyojin - Subvertendo clichês


        Entretenimento e reflexão. Escapismo e razão. A arte de hoje tem mostrado uma clara separação entre as obras destinadas a um dos lados desta dualidade. Em um quotidiano que, embora muito mais flexível do que em tempos passados, ainda é desgastante seja a nossa saúde, seja ao nosso psicológico, acabamos recorrendo a pequenas distrações que acabam nos tirando da nossa realidade.
Um professor de literatura que tive na época que fiz cursinho havia dito que obras destinadas apenas ao entretenimento não podiam ser consideradas “arte”, afinal, não tinham, pelo menos a priori, o objetivo de realizar uma avaliação da condição humana ou da sociedade. Nutro um grande respeito por ele, afinal é uma pessoa de grande conhecimento, da qual pude aprender muito, mas discordo um pouco dessa frase. Porque a arte tem de ser respeitada apenas se tiver uma linguagem rebuscada? Porque a própria criatividade para sua confecção não pode ser valorizada igualmente?
É uma discussão presente em diversas formas, seja na constante insatisfação em relação aos indicados ao Oscar, seja a constante depreciação entre fãs de estilos de música antagônicos, e outros. E isso também é muito visível em relação aos animes. “Tal anime é modinha”, “Anime longo só tem filler”, “O final em aberto ficou horrível” são frases que costumo ler por aí.
Entre os animes ditos “modinhas”, acho que pode ser incluído Shingeki no Kyojin (ou Attack on Titan, fale como preferir). O shounen, que foi o grande sucesso de 2013, sucedendo a explosão que foi Sword Art Online no ano anterior, retornou este ano com sua segunda temporada.
Para aqueles que não conhecem, o anime se passa em um mundo que foi devastado por seres chamados de Titãs, criaturas semelhantes a humanas, de 3 a 15 metros de altura. Estas formas de vida vagam pelo mundo, sendo sua única atividade atacar e comer humanos, mesmo que não precisem, pois, a energia solar basta para que se mantenham vivos, assim como não atacam animais. De coordenação motora precária, possuem uma pele rígida e auto-regenerativa, sendo necessário um corte preciso na região da nuca para matá-los. Para sobreviver, a humanidade se refugiou em uma região concêntrica, protegida por 3 muralhas de 15 metros de altura: a mais externa, Maria; a muralha intermediária, Rose; e a mais interna, Sina, aonde se localiza a família real e os aristocratas. O exército é dividido entre a Guarnição Militar, que protege todo o território humano, a Polícia Militar, que protege a área dos aristocratas, e a Divisão de Reconhecimento, responsável por exploração de territórios, pesquisa sobre os titãs e conquista de locais externos as muralhas.

Guarnição militar - "Pela ordem e a paz"
Divisão de reconhecimento - "Pela glória da humanidade"
Polícia Militar - "Pela sua majestade, o rei"
A história começa quando Eren Jäeger, um jovem rapaz, perde sua mãe após um ataque de titãs na muralha Maria, depois do aparecimento dos Titãs Anômalos (na ocasião, o Colossal, e o Couraçado). Isso o motiva a se tornar um soldado da Divisão de Reconhecimento, e com sua empreitada, acaba trazendo consigo seu melhor amigo Armim Arlert, e Mikasa Ackerman, que se torna uma assassina de titãs incrível.

O 104º Corpo de Cadetes, com destaque aos três protagonistas.
O anime possui vários personagens, todos eles sendo importantes de um modo, assim como o autor sabe muito bem como aproveitar eles, desde a esfomeada Sasha, a fria Annie, o valente Reiner, a bela Krista, a durona Ymir, o espontâneo Connie, entre outros. É de grande qualidade a maneira como é distribuído o foco entre eles, não sendo apenas o trio de protagonistas a receber destaque. Temos também outros personagens importantes, como Levi (talvez o mais popular de todos entre os fãs?), Hange, etc.
Confesso que tive uma certa resistência para começar a assistir à animação. Não sei descrever bem o porquê..., mas como me surpreendi. A história, de início, não tem muita originalidade, mas certamente surpreende muito quem assiste, principalmente em seu tom. Me marcou muito o arco da Batalha de Trost, principalmente a cena em que vemos os cadetes recém-formados, liderados por Eren, avançando agressivamente aos titãs, e, quebrando a expectativa, sendo dilacerados em instantes.

Uma cena usual em Shingeki no Kyojin...
Aliás, Shingeki no Kyojin possui mistérios muito bem trabalhados. Desde o porão na casa de Eren, até a identidade dos anômalos. A segunda temporada inclusive já iniciou adicionando ainda mais mistérios, como os titãs dentro das muralhas.
As cenas de ação são lindas, o estúdio Wit entrega um trabalho bem feito quando necessário. Mas é claro que, devido ao porte do estúdio, há alguns defeitos perceptíveis, principalmente em relação a deformações no visual (a cena em que Eren é engolido por um titã após salvar Armin é medonha!).
Defeitos que aliás, se estendem a alguns pontos da narrativa. Os protagonistas não são tão bem desenvolvidos quanto se esperaria (ele ocorre, mas é interrompido muito brevemente), principalmente em relação a Mikasa, que creio que merecia mais atenção em relação a sua história. Outra questão que também acho importante é a qualidade de Eren como protagonista. Ele não é um personagem ruim, tanto que é nítida uma certa evolução dele. Mas muito de seu temperamento, principalmente em relação a Mikasa, não é muito bem “entendível”, por assim dizer, devido ao desenvolvimento breve do personagem.
Mas os pontos altos da obra se sobrepõe em muito os defeitos. É um shounen pesado, com um clima com grande carga dramática. Algo que me surpreendeu foi o autor não ter medo de matar personagens. Sim eu sei, não chega nem perto do nível de Akame ga Kill nesse quesito, mas ainda assim, a produção do anime sabe muito bem fazer você sentir a morte das pessoas, o medo em relação aos titãs, e outras emoções. Outro ponto que não vi ser muito mencionado, é alguns traços de steampunk, isso é notado principalmente em relação ao Dispositivo de Movimentação Tridimensional.

A galera toda reunida
Mas o que isso tudo tem a ver com os primeiros parágrafos deste texto? Bem, acredito que boa parte do sucesso de Shingeki no Kyojin é adicionar algumas pequenas reflexões sobre a sociedade a sua narrativa. Ao vermos, no início da obra, a rejeição civil a Divisão de Reconhecimento, é como uma analogia a preferência das pessoas ao comodismo em tempos de fartura e segurança. Essa mesma rejeição é invertida, quando a humanidade mais uma vez se vê ameaçada, com a chegada do Colossal e do Couraçado, em que a celebração daqueles que se arriscam a descobrir novos horizontes é retomada.
Outro ponto em questão, que inclusive tem sido retomado devido a opening da segunda temporada, é a razão dos titãs atacarem exclusivamente humanos. Muitos enxergam isto como uma alusão ao ambientalismo, em que a natureza estaria se encarregando de limpar o planeta daqueles que o prejudicam.

Agora, mesmo com todas as qualidades observáveis, será que é justo dizer que a obra não pode ser considerada arte? O mero fato de ser um shounen, ou por alcançar um grande público, exclui todo o mérito alcançado pelo anime? Eu faço esse questionamento não só para Shingeki no Kyojin, mas também para SAO, Re:Zero, e todas os outros animes que costumam ser bombardeados meramente por ser o sucesso da temporada. Talvez, deixar de tentar encaixar as coisas em um binarismo de “bom” ou “ruim” seja só um atalho prejudicial a todas as pessoas.

7 Monstros Assustadores em anime!


Aí você leitor, senta lá na sua poltrona confortável, e prepara a melhor bebida e até uma guloseima para assistir um animezinho cheio de moe desnecessário e alegre, e acaba se deparando com criaturas absurdas, estranhas e assustadoras! Okay, os animes que vou listar hoje passam bem longe do moe, mas passam bem perto das criaturas assustadoras! Hoje vamos listar 7 monstros assustadores nos animes!


1° Hakumen No Mono colocando Ushio To Tora em destaque!

Um olhar e sua coragem vira pó.

Apenas olhar nos olhos dessa criatura já te deixa bem situado de porque eu considero ele o mais assustador de todos os animes, não é? Precisa de alguma explicação extra? Só um olhar do Hakumen nos explica que ele é a maldade pura e em forma bruta, muitos cometem suicídio apenas de olhar em seus olhos.


2° Blood-C e suas criaturas

E falando em "olhar" olha só que olho grande...

As criaturas de Blood-C muitas elas baseadas na cultura budista e algumas outras simplesmente aleatórias, carregam no olhar e em suas ações uma sede de sangue pura, e isso foi tão bem representado na obra, que só sobra medo no coração de quem assiste.


3° Claymore as vezes assusta um pouco...

Seu sorriso é tão belo que dá vontade de se matar!

Só as vezes não é mesmo? Só as vezes... Sério, lutar contra criaturas poderosas é um sonho adolescente, mas duvido muito que alguém tem interesse de lutar contra esse tipo de coisa. Basta imaginar você caído e indefeso na frente dessa coisa, e certamente vai se tremer todo.


4° As vezes não é bom assistir Berserk de luzes apagadas...

Quem deveria fazer essa cara e gritar seria eu, não?

O melhor seria apagar tudo e parar de assistir essas coisas, principalmente durante a noite. Sério, é assustador, pare com isso!



5° Vampire Hunter D: Todos os animes antigos são assustadores?

Você já é feio o suficiente para parar aqui, não precisa fazer careta...

Você não pode só matar todo mundo? Precisa mesmo assustar antes de atacar? Acho que você deveria rever seu caráter, caro monstro feio.


6° Kiseijuu Sei No Kakuritsu: A prova de que animes novos também são assustadores!

Bonito, fofo e cheio de lâminas mortais.

Eles são assustadores, e provavelmente são os únicos dessa lista que são assustadores com motivo: Eles nasceram para pegar o lugar de predador natural do ser humano, então é de se imaginar que eles sejam assustadores para os humanos, assim como uma zebra deve roer as unhas (como se tivesse) só de pensar em encontrar um leão em plena noite quando for beber água.


7° Shingeki No Kyojin

Olha o sorriso no rosto de quem não vai ficar com fome hoje...

Bom, eu nem preciso explicar que eles são assustadores e bizarros o tempo todo, tenho certeza que você leitor e espectador desse anime já percebeu esse "detalhe".






O que foi visto, não pode ser desvisto! Agora só comentando abaixo você vai se livrar do pesadelo!

4 Grandes Plot Twist dos animes!



As vezes  o anime está seguindo um caminho reto para um final esperado, e em determinado momento tudo muda, o rumo da obra parece endoidar e segue um caminho totalmente inesperado, uma verdadeira reviravolta ocorre, e é exatamente disso que se trata o termo em inglês Plot Twist, algo que podemos traduzir de forma livre como reviravolta no enredo! E é sobre isso que vamos falar hoje; reviravoltas inesperadas nos animes! 

Este artigo contém Spoilers!


1° Zetsuen No Tempest

Uma reviravolta tão suave quanto um chute na cara!

E então você passa o anime torcendo para o protagonista e sua escolha em uma guerra que pode custar a destruição do mundo, e é de se imaginar que o protagonista escolheu o lado certo, não é verdade? Mas e quando ele mesmo descobre que está lutando do lado errado da guerra? Foi exatamente isso que aconteceu em Zetsuen No Tempest, quando a árvore de Genesis se prova a verdadeira interessada em destruir o mundo humano; e ao mesmo tempo Mahiru descobre a verdade sobre a morte de sua irmã, tudo em uma reviravolta absurda e alucinante!


2° Blood-C

Em uma entrevista, o autor da obra uma vez afirmou que as reviravoltas surpreendem até ele!

Tudo vai muito bem, em uma calma cidade a meiga Saya vive sua vida feliz morando em um templo com seu pai e estudando no colégio local com os melhores amigos; até um romance parece surgir. Mas no segundo plano, ao fim de cada episódio Saya acaba precisando lutar com alguma grande criatura estranha, mas em todo caso isso é apenas irrelevante, não é? Mas é nos últimos episódios onde tudo começa a desmoronar, e verdades marcantes começam a surgir na cidade, a ponto de que você percebe que foi enganado bruscamente o anime todo! E para quem já curtiu Blood-C, fica a dica de também conhecer Blood-Plus e os mangás nomeados como "conto da décima sexta noite" eles fazem o plot twist ser ainda mais absurdo!



3° School Days

Admita, romance e traição terminar em desgraça é enredo do Marcelo Rezende, logo é comum...

Vai falar que você não começou a assistir School Days pelo romance? Pois é, muita gente viu pelo romance, e alguns tarados assistiu pelo pouco ecchi que transparece ao decorrer da obra, mas a verdade é que o anime segue um rumo muito inesperado quando a história de traição segue o rumo mais natural; natural porém até então inesperado para o perfeito e amoroso mundo dos animes onde tudo sempre dá certo e a justiça sempre brilha. A reviravolta do episódio final deu um toque especial ao que já era incomum; hoje é comum ouvir dizer que odeia o anime, ele conquistou esse ódio com as próprias forças.


4° Hunter X Hunter

A expressão assustada de quem armou o Plot Twist e não viu se cumprir...

Bom, apesar disso precisamos lembrar que Hunter X Hunter é um anime muito grande, então precisamos nos situar em alguma parte da obra, e como já esperado pelos fãs da obra, o nosso grande plot twist vem da saga das formigas quimeras, a reviravolta  é exatamente da grande e emocionante batalha de Netero contra Meruen, rei das formigas. O interessante de tudo, é que quando enfim a reviravolta surge, nos lembramos das palavras pesadas de Netero: "Meruem, rei das formigas, você não conhece a maldade humana". A reviravolta nos prova que de fato ele não conhecia a maldade de nós humanos; não temos garras e nem chifres, muito menos dentes afiados, mas ainda somos a raça dominante do mundo; pois somos cruéis.



Aproveite o momento, e vá com o cursor para fechar a página e em um último momento volte e faça um comentário, esse seria um grande plot twist, não acha?


5 Garotas que pegam bem no cabo da espada!



Katana, a típica espada samurai do Japão nunca saiu de moda por lá, e acho que nem por aqui. Todo mundo curte ver alguém com uma dessas em mãos fatiando inimigos, e não é nada incomum que garotas façam esse papel "bruto" de matar inimigos em posse de uma espada, e hoje vamos listar exatamente isso, cinco garotas que em posse de suas espadas, fazem um estrago!


1° Akame - Akame Ga Kill

Depois que a espada te corta, nem um miojo você consegue preparar!

Okay, ela nem precisava ser tão boa quanto ao uso de sua arma, só precisa ser regular. Eu considero a arma da Akame uma das mais poderosas dos animes, se não a mais poderosa. Uma Katana que em um corte mata qualquer um é um belo artefato para se ter em mãos; agora pense que se você tem 1% de chance de derrotar seu inimigo, significa que ao menos vai conseguir tocar nele, logo basta tocar com a katana apenas uma vez, um pequeno corte na ponta do dedo mindinho, e pronto, acabou a luta. Essa arma só não te faz vencer se já desde o início a chance era de 0% e a Akame sabe muito bem disso, e a usa de forma perigosa e letal.


2° Saya - Blood-C e Blood-Plus

Depois de ser cortado pela espada da Saya, quem vira a comida é você!

Vamos precisar recordar que a Katana que Saya carrega em mãos também não é uma arma qualquer, é uma arma com o belo truque de "beber" o sangue inimigo e com isso deixá-la ainda mais poderosa; mas nesse caso precisamos sim admitir que a garota manda muito bem em sacudir sua arma e cortar inimigos, ela é uma verdadeira arma de guerra com sua espada, e bom, isso nem é uma forma de dizer, ela realmente foi usada como arma de guerra.


3° Mikasa - Shingeki No Kyojin

Já a Mikasa luta para não virar a comida...

Essa é a garota que apesar da aparência frágil balança sua espada por ai, e mata muito mais inimigos que a maior parte dos homens do anime, ela é uma verdadeira arma que picota tudo que estiver pela frente com sua afiada lâmina.


4° Tamaki  Kawazoe - Bamboo Blade

Algumas lutam por comida...

Essa pequena garotinha é uma verdadeira arma com uma espada em mãos, mesmo que o anime Bamboo Blade não seja do tipo onde cabeças rolam, ela ainda consegue deixar bem claro a que veio, sendo focada e muito esforçada em controlar a sua arma.


5° Tendou Kisara - Black Bullet

E claro que há quem lute para SER comida.

Herdeira de um perigoso estilo de Katana, ela porta sempre sua arma, e quando faz uso dela deixa todos a volta impressionados. Entre seus grandes feitos, um se destaca: Cortar gente é comum, degolar inimigos é quase uma obrigação para um bom samurai, mas Kisara corta um prédio em dois só puxando sua espada da bainha. Agora sabe porque de tantas garotas poderosas por ai, ela veio parar aqui, não é?


E você, tem alguma garota espadachim favorita? Admita, elas são o máximo, comente alguma abaixo!

5 Sinais de que você está se tornando um velho Otaku velho!


Você pode estar começando no mundo dos animes, acabando de adentrar a grande cultura Otaku, mas um dia talvez você vai chegar ao estágio que alguns outros leitores já chegaram, que é o estágio do Otaku velho, velho. Esse estágio acontece quando você já viu tanto anime que já não vai mais ser engano por uma proposta qualquer, e já não é uma criança que os olhos vão se encher por pouca bosta. Quando enfim você chega nesse ponto, é só sofrimento, vamos aos sinais de quando essa difícil etapa da vida Otaku chega...


1° Aquela aventura de adolescentes já não desce bem...

Afinal de contas, tem tanta coisa errada quando você começa a olhar bem de perto. O Japão só pode ter uma das maiores taxas de órfãos do mundo não é? Afinal o que não falta são crianças correndo por ai balançando armas perigosas e o pior, se envolvendo em romances múltiplos e tentando matar pessoas. É tanta coisa incompatível nas aventuras shounen, que é melhor deixar para listar em outro artigo...


2° Salvar o mundo é coisa de criança! Adulto paga os boletos em dia!

Quando a idade chega, você começa a perceber que nos animes shounen as crianças sempre vão ser responsáveis por salvar o mundo de algum grande terror, e bom, isso é óbvio, no mundo adulto o vilão é o chefe que não quer dar o feriado e o prêmio pela vitória é o salário do fim do mês e as contas pagas não é? Salvar o mundo, pufft.



3° Tudo precisa de um motivo!

É quando já está ficando um velho ranzinza que você começa a procurar motivo para tudo dentro do anime; começa a buscar os porquês de cada acontecimento e o motivo dele ter acontecido daquela forma, se não tem motivo é vazio, se a justificativa não for a altura o anime tem um enredo porco e pífio, se não tem uma construção inesperada, e cheia de bons motivos, é ruim, melhor nem assistir... Sim, gente velha é chata, descobriu agora?


4° Os animes de antigamente eram melhores sabe...

E não eram? O que narrador, você está sussurrando que eu estou ficando velho e nostálgico? Que isso, tenho certeza que lá nos anos 2000 só tinham animes bons e inesquecíveis... Bom, a verdade é que muita gente pensa assim, e prefiro nem abrir discussão sobre se os animes antigamente tinham ou não qualidade, a verdade é que velho é nostálgico e saudoso, então já sabe né? Antigamente só haviam obras de arte.


5° Pesquisar antes de sair vendo!

Gente velha tem dificuldade de pegar coisas novas para ver, a verdade é que quando se envelhece você fica muito resistente a novidade, logo pensa mil vezes antes de assistir um anime novo, e claramente recorre a sites lindos como o Anime21 e o Animes Tebane para encontrar aquele anime especial e já com a opinião positiva de outros velhos. É difícil agradar velhos, mas quando você os agrada, eles ficam quietinhos, na poltrona só curtindo a novidade, e claro, reclamando, mas gostando.



Ninguém é tão velho que não possa comentar um artigo não é?

Fuuka - Derrepente, ladeira abaixo...


*Aviso: contém spoilers, leia por própria conta e risco!
O comportamento humano costuma ser muito influenciado por seus sentimentos. Abandoná-los e viver uma vida completamente racional é plenamente impossível (mesmo o vazio provavelmente é uma consequência de emoções). O que dizer então das consequências daquele que é o mais breve, porém intenso deles, a paixão? O amor costuma ser tema de muitas obras dramáticas em todo o mundo. Não seria diferente nas animações japonesas.
É claro que há uma diferença cultural entre a forma de demonstrar carinho entre os diferentes lugares deste mundo. Estranhamos ver a maneira tímida que os personagens de anime demonstram seus sentimentos. Tanto que a decepção que muitos fãs costumam ter é o fato do casal as vezes sequer se beijar na obra (fica a dica para o próximo Fate...).
Da esquerda para a direita: Sara, Fuuka,
Nachi, Yuu e Makoto
DaNa temporada de inverno de 2017, um dos lançamentos que decidi acompanhar foi Fuuka. O anime conta a história a história de Yuu Haruna, um garoto bem tímido, introvertido, que passa a maior parte do tempo olhando para o aplicativo do Twitter no celular. Um dia, acaba esbarrando em Fuuka Akitsuki, uma garota que é bem exposta a personalidade dele, que o tempo todo está ouvindo música com seu fone de ouvido. Após um atrito inicial em uma grande avenida, os dois percebem que estudam na mesma escola, e iniciam uma amizade, de início, indo a um filme com as músicas de Koyuki Hinashi, cantora pop extremamente popular no Japão, e ídola de Fuuka. O que ela não sabe é que Koyuki é uma amiga de infância de Yuu, e possui uma paixão platônica por ele.
Não demora muito para Yuu sugerir a Fuuka para ela começar a cantar profissionalmente. Então ela decide formar uma banda, junto a Yuu, que seria o baixista, e Makoto, amigo dos dois e tecladista. Também se juntam Kazuya Nachi e Sara Iwami, baterista e guitarrista, respectivamente.
Bem, dada a sinopse, acho que já dá para perceber o desenrolar da trama certo? É formado um triângulo amoroso, então todo mundo começa a esconder seus sentimentos, etc. Sim, o anime é bem clichê, o que não necessariamente é algo ruim. No começo, eu estava me divertindo com o anime, apesar de algumas coisas sem sentido, tipo a respiração boca-a-boca que se transformou em um beijo no terceiro episódio. Mas me chateia que a produção do anime tenha feito escolhas tão ruim para o desenvolvimento da história...

Yuu e Fuuka no começo de tudo
Não vou me alongar muito nos traços/animação do anime, porque não tem muito o que falar, os personagens são bonitos, tem um ecchi leve na obra, a obra não demanda lá muito da animação, as mesmas coisas de sempre. O primeiro arco do anime é a aproximação de Yuu e Fuuka, que é bem feito até. Vemos os dois sentindo uma atração um pelo outro paralelamente a sua amizade, e culminando naquela bela fala de Yuu, demonstrando seus sentimentos depois de um tempo brigado com ela. O próprio chega a pensar que fez uma declaração de amor sem querer.
Então, vemos o arco de Koyuki, que foi o motivo da briga dos dois no restaurante na praia. Ela decide se reaproximar de Yuu, sempre o relembrando de sua promessa, que um dia iriam dividir o mesmo palco. Ambos são fãs de uma banda de rock em hiato, chamada HEDGEHOGS, tanto que costumam se chamar de Tama-chan (a vocalista) e Nico-kun (o baixista). Então temos o que para mim foi o ponto alto do anime, que são os episódios 7 e 8, aonde Koyuki se declara em rede nacional para Yuu, e diz que ela não é correspondida. Logo, muitas pessoas se juntam para o primeiro show da Fallen Moon (a banda liderada por Fuuka), apenas para agredir Haruna. Logo, Koyuki, que foi ao show disfarçada para ver seu amado tocar, se revela para proteger o garoto.

Koyuki Hinashi, a idol do anime
E a partir disso, a narrativa passa a progressivamente perder seu sentido. Vemos Koyuki ganhando cada vez mais tempo de tela e destaque, com ela e Yuu cada vez mais próximos. Ambos passam a sair juntos, quase como um casal, mas o baixista não consegue sentir exatamente a mesma coisa que a estrela pop. A personagem que dá nome ao mangá, de uma hora para outra, chega a parecer apenas uma coadjuvante.

Esse momento foi bem legal...
Bem, obviamente que Fuuka se encontrou apaixonada por Haruna, este que não sabia se estava com medo de magoar Koyuki, ou se amava ela mesmo. Tudo isso culmina em uma crise na menina dos cabelos azuis, que decide sair da banda. Em meio a tudo isso, tivemos a cena polêmica, envolvendo um certo caminhão. Bem, eu não li o mangá, então não posso dizer com propriedade se a decisão para a solução do roteiro foi correta no anime. Sabendo do que aconteceu na obra original, creio eu (com uma ênfase na palavra “creio”, com letras garrafais de preferência) que a escolha da adaptação foi melhor, sabendo superficialmente do que ocorre futuramente no mangá. Mas, novamente, não possuo embasamento para discutir isso (se quiser dar sua opinião nos documentários, é mais do que bem-vindo).
A grande verdade é que eu consigo entender a forma padrão que os animes retratam um romance. O que eu não entendo, é Fuuka fazer a mesma coisa, tendo logo no começo da narrativa demonstrado claramente que ambos sabiam o que sentiam um pelo outro (me refiro a Akitsuki e Yuu). Depois de todo aquele drama na praia, vemos os dois agindo como se nada tivesse acontecido, ou melhor, sequer tendo consciência do que aconteceu. Então vemos Koyuki praticamente roubando o protagonismo da obra, dando a entender que Yuu ficaria com ela, e depois aquela rejeição na cama, com Fuuka e Yuu percebendo novamente que gostam um do outro.

Os mil e um disfarces de Koyuki

Sinto como se o roteiro tivesse ficado uma bagunça, ou então que quem escreveu a história da animação tenha um sério problema de déficit de atenção. Veja bem, não vejo como um problema Yuu escolher ficar com Fuuka, mas sim isso ocorrer após ambos “esquecerem” que teoricamente já gostavam um do outro, e depois com uma inversão de papéis relâmpago. E, além de perder destaque, é como se em dado momento Fuuka tivesse sua personalidade meio alterada, variando de uma típica tsundere, até uma garota meio fria, depois se isolando do resto da banda... A segunda metade do anime o estragou.
Pior que isso, somente o desenvolvimento dos outros personagens. Makoto, no primeiro arco, tem várias falas, uma presença interessante, como o ponto de ligação entre os dois protagonistas. Então, depois do 5º ou 6º episódio, ele praticamente passa batido nos capítulos.
Já Nachi, bem, esse caiu de paraquedas. Ele enchia o saco da Fuuka para a mesma se tornar uma atleta, e do nada o cara revela que tem uma bateria em casa e se torna integrante da banda. Sinceramente, sinto como se ele fosse apenas um tapa-buraco. Até há algumas tentativas de torna-lo o alivio cômico no final, mas não tem graça nenhuma.
E por fim temos Sara. O episódio em que ela aparece é tão legal... queria que ela tivesse tido mais destaque na obra. Parecia que ela seria mais uma integrante do harém do Yuu, mas acabou não rolando nada. Infelizmente, é no episódio de seu aparecimento que todo o brilhantismo do personagem é colocado, para depois acontecer o mesmo que ocorreu com o Makoto.
Pelo menos, a parte musical da animação é muito boa. Vasculhando a internet, vi que o anime dá mais destaque para as canções. É legal ver o contraste entre as vozes de Koyuki e Fuuka, sendo a primeira mais suave e melódica, enquanto a segunda possui uma voz muito potente.
No final, Fuuka foi um anime “legalzinho”, que acabou me enganando um pouco. Dentre àqueles que assisti na temporada de inverno 2017, infelizmente acabou sendo só mais um, me decepcionando um pouco. Não creio que ele seja em sua essência ruim... mas, talvez o grande problema dele, além desse roteiro feito de qualquer jeito, é que ele não te impressiona, não consegue marcar algo no telespectador.

E, só para finalizar, coloca uma cena de beijo no último episódio caramba! 

5 Animes para ver comendo pipoca com a morte!


Aposto que só veio ler por conta desse título. Eu sei, eu também gostei dele, encaixou certinho. Hoje vou indicar para vocês cinco animes em que a morte é protagonista. Não vou falar sobre Soul Eater nem nenhum anime onde a morte é personagem mesmo, estou dizendo que a lista será sobre animes onde a morte é comum e banal, é assunto chave da obra! Então, já preparou a pipoca? Então vamos ler, e não olhe para o lado agora...


1° Hoozuki No Reitetsu

Episódios:  13  Ano: 2014  Estúdio: Wit Studio Gêneros: Comédia//Sobrenatural

Todo o elenco do anime morreu. Não, não morreu tipo ao decorrer da obra, eles já começam mortos mesmo. Afinal esse anime se passa no inferno, então todo mundo já bateu as botas há algum tempo. O fato é que nesse anime todo mundo já partiu para a os braços da morte, e nesse ritmo quente (inferno HA!) você vai conhecer um elenco carismático e cheio de piadas melhores que as minhas!

Houzuki No Heitetsu nos apresenta o divertido inferno Japonês regido por Hoozuki, administrador com mão de ferro e pouco tolerante, afinal o trabalho dele é um inferno. A obra nos apresenta o inferno japonês mergulhado de dor, sofrimento e comédia! Hoozuki é o protagonista escolhido para nos apresentar cada canto do local de sofrimento eterno dos maus.


2° Jigoku Shoujo

Episódios:  78 (Em três temporadas)  Ano: 2005  Estúdio: Studio Deen Gêneros: Drama//Sobrenatural//Horror

Outro anime onde o inferno é o destino de metade do elenco, mas nesse caso só destino final mesmo, não é cenário principal do anime. O fato é que todo mundo está jurado de morte em Jigoku Shoujo, alguém sempre vai no colinho da Enma Ai para o inferno, e alguém sempre condena a própria vida para isso; afinal quando uma maldição é feita, dois túmulos são cavados! No fim, todo mundo vai morrer, ou todo mundo já morreu. O time protagonista já morreu há centenas de anos, e os novos personagens vão morrer assim que surgirem no episódio.

Jigoku shoujo é sobre a lenda japonesa de Enma Ai a donzela do inferno, uma lenda urbana que conta que se buscar por vingança à meia-noite na internet, encontrará um site onde poderá digitar o nome de quem deseja enviar ao inferno, e fazendo terá selado um pacto com Enma Ai, a donzela do inferno. Como você já pode imaginar, a lenda urbana de Enma Ai é verdadeira, e o anime nos conta a história de várias e aleatórias pessoas que acabam por invocar a justiça e punição da garota infernal.


3° Shinigami no Ballad

Episódios:  06  Ano: 2006  Estúdio: Group TAC, Ginga Ya Gêneros: Drama//Sobrenatural

Agora sim é sobre a morte protagonizando um anime. Sim, que original uma shinigami sendo protagonista não é? Não, ela não tem um Death Note e nem vai liberar um Bankai se você estressar ela, ela só vai te ceifar e enviar sua alma para o inferno mesmo. Mas sem drama, o anime realmente é focado nas mortes de pessoas aleatórias, e a garota morte é exatamente a protagonista, através de seu olhar um pouco melancólico vemos a vida e morte dos humanos.

O anime conta a história de Momo, uma garota que é a deusa da morte, e por conta disso precisa ceifar a alma das pessoas, não que isso a faça feliz, pelo contrário, ela assiste com bastante melancolia a vida e morte dos humanos a sua volta. No fim, ela precisará ceifar a vida de todos, e é contando pequenas histórias onde ela precisa agir que o anime acontece.


4° Shigofumi

Episódios:  12  Ano: 2008  Estúdio: J.C.Staff Gêneros: Drama//Sobrenatural

Quão trágico seria você matar alguém e depois receber uma carta dessa pessoa? Ao menos assustador seria. Shigofumi é o serviço mensageiro do outro mundo, envia para as pessoas na terra a última mensagem de quem já partiu, mensagem essa carregando os sentimentos mais dolorosos ou importantes da pessoa no momento em que acabou morrendo. Bom, já deu para ver que para o enredo desse anime rolar é preciso que muita gente morra não é mesmo?

Shigofumi segue Fumika, uma garota a quem foi designada a tarefa de enviar até os humanos a última mensagem das pessoas que morreram. Essas mensagens são geradas do sentimento mais profundo da pessoa no momento de sua morte, seja esse sentimento o ódio extremo por seu assassino, ou uma palavra de afeto nunca dita. A obra segue a entrega dessas cartas que acabam mudando para sempre a vida dos vivos.


5° Akame Ga Kill

Episódios:  24  Ano: 2014  Estúdio: White Fox Gêneros: Ação//Horror

E por último o anime que você passa o tempo todo achando que sabe quem é o protagonista, para no fim descobrir que quem manda nisso tudo é a dona morte! No fim, todo mundo vai morrer não é mesmo? Essa é a única certeza da vida, e a única certeza de Akame Ga Kill, afinal não vai sair ninguém vivo disso. Pegue suas fichas, faça suas apostas, e fique sofrendo torcendo para seu personagem amado ser um dos poucos remanescentes nesse banho de sangue!

Akame Ga Kill conta como Tatsumi se junta ao exército revolucionário contra o grande império. Tatsumi saí de sua pequena vila com o sonho de se tornar um grande soldado imperial, mas descobre que a capital está podre, e dessa forma acaba por se juntar a Night Raid, um grupo de assassinos profissionais, que em troca de sangue juram trazer a justiça novamente à capital do império.



E agora nos conte qual outro anime você assiste comendo pipoca com a dona morte! Sabe algum anime assim? Então comente abaixo!

5 Motivos para você odiar o fim do anime!


Tem muita gente por ai que vive dando uma de hater em redes sociais para xingar o final de algum anime aleatório, isso já se tornou comum para a cultura Otaku, todos já nos deparamos com esse tipo de revolta. Mas o fato é que odiar o final de um anime não é tão incomum assim, e hoje vamos listar cinco motivos para você odiar de verdade o fim de um anime!


1° O comum anime com fim incompleto

É sério isso mesmo?

Afinal, conforme é o modelo de lançamento dos animes em cour de doze episódios, sendo que a maior parte dos animes para nesses doze episódios, não é incomum nessa mídia você se deparar com animes que são meramente um trailer de seus respectivos mangás. E o final desse tipo de obra costuma ser tão aberto e superficial, que realmente nos faz odiar!


2° O Plot Twist rápido, sem sentido e mal feito!

Que porcaria de reviravolta foi essa? O diretor fumou muito né?

E lá estamos assistindo um animezinho e próximo ao fim e às vezes bem no último episódio, somos introduzidos a uma reviravolta tão grande, chocante e feita de forma tão rápida e sem transição, que só podemos odiar o resultado! A coisa muda de uma hora para outra, o vilão agora é aliado; ou o seu personagem favorito agora é o vilão, tudo gira e muda, e você fica sem entender absolutamente nada.



3° No fim, o seu personagem favorito morre.

Sinto que essa imagem é séria demais para eu usar como ilustração de piada. Acontece.

Alguns são mais sensíveis a morte de personagens, outros conseguem levar mais na boa (é o meu caso) mas a verdade é que ao menos algum forte impacto você sente quando percebe que seu amado personagem se foi para sempre, ele morreu. E muita gente não consegue separar a emoção da perda do sentimento pelo fim do anime, e então temos como conclusão um mar de chorume, pois o fim do anime foi horrível, afinal o personagem x morreu! Eu te entendo amigo, eu te entendo.


4° O anime acaba, e o casal que você shippou não acontece!

Ele vai mesmo ficar com esta venerável piranha?

É inaceitável que o casal formado não represente o seu pensamento interior não é? E o pior é quando nem casal é formado. "Alguma coisa estava errada com a cabeça desse autor quando colocou o protagonista com aquela vadia!" pois é, tem muita gente que acaba odiando o final de alguns animes por ai por conta dos casais formados ou não formados. Acontece, nem sempre a shippada funciona não é?


5° Bom, o anime acaba; e você gostava dele.

Mãos ao alto, seu anime acabou!

Existe coisa pior que o anime acabar? Sabe aquela sensação de branco? A sensação de vazio? Não há mais nada nesse mundo para assistir, afinal o anime que você tanto ama acabou. Só o fato dele acabar já dá ódio não é verdade? Dava para ter mais alguns vários episódios, tenho certeza disso! É triste amigo, mas acabou, só nos cabe aceitar.




Agora conte para nós algum anime em que você realmente odiou o final!


4 Vezes em que animes te fizeram se sentir um detetive de sucesso!


Toda vez que você assiste um anime de detetive, tenho certeza que fica tentando desvendar o mistério antes do protagonista, com todos os detalhes que recebe tenta montar o quebra-cabeças, e quando consegue se sente o grande detetive! E é sobre animes que nos trazem essa sensação que vamos falar hoje!


1° Death Note e o jogo do detetive!

Além de um grande detetive seguindo e tentando despistar em sua imaginação cada ação de cada personagem, você também deve ter se sentido muito inteligente, afinal tenho certeza que arrumou um ou dois métodos mais eficientes e discretos de agir que nosso protagonista Kira, que apesar de ser muito inteligente, ainda fez muitas burrices e colocou o maior detetive do mundo em sua cola.


2° Hyouka e seus mistérios decifráveis!

Os mistérios super complexos e ao mesmo tempo tão simples que qualquer um pode encontrar com mistérios semelhantes durante o dia a dia. E foi assim que Hyouka faz você se colocar na pele de um detetive brilhante! Tudo tem uma explicação, mesmo pequenas coisas, e após assistir esse anime você passou a dar um de detetive nas pequenas coisas do cotidiano!


3° Boku Dake Ga Inai Machi e o culpado óbvio!

Afinal de contas tenho certeza absoluta que você sabia quem era o grande culpado pelo sequestro e assassinato das crianças mesmo antes dele se revelar! O anime fez muitas discussões surgirem na internet, todo mundo estava tentando seguir o rastro do culpado, e alguns outros apenas desistiram e prestaram atenção que na abertura do anime já revelava o culpado. O fato é que todo mundo deu um de detetive durante a exibição desse anime e tentou revelar a verdadeira face do culpado!


4° Rokka no Yuusha e o sétimo herói!

Seis poderosos heróis são escolhidos na história do mundo para representarem a humanidade e a salvar de um terrível ser que vem para destruir o mundo. Os seis heróis se reúnem e olha que surpresa: São sete heróis! Um é falso, agora só falta se matarem e descobrirem quem é o falso e quem é o verdadeiro! O mistério perdurou o anime todo, e se você assim como eu acertou na mosca em sua aposta, certamente se sentiu o maior de todos os detetives! E se errou, tenho certeza que ao menos se esforçou bastante tentando descobrir quem era o falso herói...



Se você é mesmo um detetive implacável, certeza que sabe o que fazer agora na barra de comentários abaixo!